Publicada em 10-11-2020 a 9ª alteração da Lei de Nacionalidade Portuguesa.
Clique aqui para ver a publicação no Diário da República Portuguesa.
Para pagar seu emolumento de processo de Transcrição de casamento ou de obtenção de nacionalidade através de Vale Postal, clique neste link, para saber o valor correto a ser pago (valores atualizados diariamente)

Transcrição de casamento em PONTA DELGADA

18910111214»

Comentários

  • CEGVCEGV Moderator 4824 PontosPosts: 4,555

    @Elba disse:
    Obrigadão pelas explicações, mas me perdoe por insistir... no meu caso Portuguesa atribuída (acabou de sair o assento) e Brasileiro, não precisa certo? Ou entro nesta leva de "avaliar o risco"? Por prefiro não arriscar se tiver qualquer possibilidade de dar errado por isso.

    A certidão da portuguesa saiu recentemente e, portanto, está informatizada. Diferente de certidões de 100 anos atrás. Então no caso da certidão da portuguesa atribuída, não há esse risco específico.

    Aproveito para perguntar... posso mandar junto essa transcrição JUNTAMENTE com processo atribuição de filho MAIOR? Vi algumas pessoas comentando mas fiquei em duvida se junto é so para menores.

    Não... se está fazendo sozinha e através de correios e formulários, não.
    Casos de processos encavalados são excepcionais. Atualmente o mais conhecido publicamente é o caso de Tondela que, para menores, pode-se mandar em um só conjunto a transcrição dos pais do menor junto com o pedido do(s) menor(es).

    Existem outros casos excepcionais mas, normalmente, com representação legal envolvida.

    abraços,

  • ElbaElba Member 121 PontosPosts: 24

    @CEGV disse:

    @Elba disse:
    Obrigadão pelas explicações, mas me perdoe por insistir... no meu caso Portuguesa atribuída (acabou de sair o assento) e Brasileiro, não precisa certo? Ou entro nesta leva de "avaliar o risco"? Por prefiro não arriscar se tiver qualquer possibilidade de dar errado por isso.

    A certidão da portuguesa saiu recentemente e, portanto, está informatizada. Diferente de certidões de 100 anos atrás. Então no caso da certidão da portuguesa atribuída, não há esse risco específico.

    Aproveito para perguntar... posso mandar junto essa transcrição JUNTAMENTE com processo atribuição de filho MAIOR? Vi algumas pessoas comentando mas fiquei em duvida se junto é so para menores.

    Não... se está fazendo sozinha e através de correios e formulários, não.
    Casos de processos encavalados são excepcionais. Atualmente o mais conhecido publicamente é o caso de Tondela que, para menores, pode-se mandar em um só conjunto a transcrição dos pais do menor junto com o pedido do(s) menor(es).

    Existem outros casos excepcionais mas, normalmente, com representação legal envolvida.

    abraços,

    Muito obrigada!!!

    Percebo que não é solicitado nenhum documento do nubente Português (atribuído), apenas a certidão de nascimento do nubente Brasileiro, é isso mesmo? O português atribuído será mencionado neste processo apenas pela certidão de casamento?

    Outra dúvida, se quem assinar o requerimento for a nubente portuguesa atribuída, não é necessário apostilar o RG dela? Apenas um cópia autenticada normalmente em cartório brasileiro? Vi esta resposta em outros posts, porém mais antigas, então fiquei em dúvida se ainda está sendo aceito apenas autenticação simples sem apostilamento.

    CEGV
  • ElbaElba Member 121 PontosPosts: 24

    Outro detalhe importante, a nubente portuguesa acabou de receber seu assento, não tem e não vai ter nenhum outro documento português por enquanto, pois começou o processo em benefício dos filhos. Tudo OK, se ela mesma assinar o requerimento, enviar apenas o documento Brasileiro (RG), juntamente com cópia do assento?

    CEGV
  • ElbaElba Member 121 PontosPosts: 24

    A não ser que ela seja obrigada a ter um cartão cidadão, isso procede?

    CEGV
  • CEGVCEGV Moderator 4824 PontosPosts: 4,555

    @Elba disse:
    Percebo que não é solicitado nenhum documento do nubente Português (atribuído), apenas a certidão de nascimento do nubente Brasileiro, é isso mesmo? O português atribuído será mencionado neste processo apenas pela certidão de casamento?

    Elba, você agora entrou nas "questões básicas". Nestes casos apenas siga nosso guia, na primeira página.

    Outra dúvida, se quem assinar o requerimento for a nubente portuguesa atribuída, não é necessário apostilar o RG dela? Apenas um cópia autenticada normalmente em cartório brasileiro? Vi esta resposta em outros posts, porém mais antigas, então fiquei em dúvida se ainda está sendo aceito apenas autenticação simples sem apostilamento.

    siga nosso guia, na primeira página.

    abraços

  • CEGVCEGV Moderator 4824 PontosPosts: 4,555

    @Elba disse:
    Outro detalhe importante, a nubente portuguesa acabou de receber seu assento, não tem e não vai ter nenhum outro documento português por enquanto, pois começou o processo em benefício dos filhos. Tudo OK, se ela mesma assinar o requerimento, enviar apenas o documento Brasileiro (RG), juntamente com cópia do assento?

    siga nosso guia, na primeira página. As orientações estão lá. Se usado documento português não é necessário apostilar.

  • CEGVCEGV Moderator 4824 PontosPosts: 4,555
    editado maio 5

    @Elba disse:
    A não ser que ela seja obrigada a ter um cartão cidadão, isso procede?

    não existe tal obrigação.

    Sugiro a leitura de minha matéria sobre mentoria.
    https://portalcidadaniaportuguesa.com/forum/discussion/333/p1

  • mendesjmgmendesjmg Member 58 PontosPosts: 5

    Via Cartório aqui no RJ, entrei com o pedido de correção do nome de minha avó portuguesa nascida em 1890, para que eu possa fazer a transcrição em Portugal desse casamento realizado no Brasil, Porém, o Ministério Público, alegando que não sendo possível a leitura da cópia reprográfica da certidão dessa batismo apostilada pelo PGR Lisboa, exige que eu apresente essa certidão em inteiro teor por meio datilográfico.

    Será que o arquivo Distrital de Viseu, onde obtive a Certidão de Batismo de minha avó, fornece essa certidão de batismo em inteiro teor datilografada?

    A cópia reprográfica da certidão de batismo que recebi e anexei ao processo não está ilegível, a escrita é boa, com um pouquinho de boa vontade decifra a letra do escrevente da Paróquia, não entendo essa exigência! Ficou difícil!.

    Se alguém puder me ajudar, ficarei muito grato.

    CEGV
  • CEGVCEGV Moderator 4824 PontosPosts: 4,555

    @mendesjmg disse:
    Via Cartório aqui no RJ, entrei com o pedido de correção do nome de minha avó portuguesa nascida em 1890, para que eu possa fazer a transcrição em Portugal desse casamento realizado no Brasil, Porém, o Ministério Público, alegando que não sendo possível a leitura da cópia reprográfica da certidão dessa batismo apostilada pelo PGR Lisboa, exige que eu apresente essa certidão em inteiro teor por meio datilográfico.
    Será que o arquivo Distrital de Viseu, onde obtive a Certidão de Batismo de minha avó, fornece essa certidão de batismo em inteiro teor datilografada?

    Sim, fornece. existe a forma digitada dos assentos. Porém, assim como a reprográfica, terá que apostilá-la na PGR portuguesa.

    A cópia reprográfica da certidão de batismo que recebi e anexei ao processo não está ilegível, a escrita é boa, com um pouquinho de boa vontade decifra a letra do escrevente da Paróquia, não entendo essa exigência! Ficou difícil!.

    Burocracia..

    Se alguém puder me ajudar, ficarei muito grato.

    assim como você fez antes, basta pedir no AD e que seja emitida pela forma narrativa (digitada)

    Abraços,

  • mendesjmgmendesjmg Member 58 PontosPosts: 5

    Oi amigo, consegui descobrir como solicitar a certidão Narrativa (digitada). Novo pedido de reprodução:Tipo de reprodução (reprodução em papel)/Reprodução certificada(sim)/nº de exemplares certificados (1)/Tipo de certidão (NARRATIVA)/Tipo de cópia(Total)/Finalidade da reprodução(CERTIFICAÇÂO)/Metodo de entrega(Envio por correio postal)/opção adicional de envio(Correio registado). Ufa!!, muito obrigado pela ajuda e atenção.

    CEGV
  • CEGVCEGV Moderator 4824 PontosPosts: 4,555

    @mendesjmg disse:
    Oi amigo, consegui descobrir como solicitar a certidão Narrativa (digitada). Novo pedido de reprodução:Tipo de reprodução (reprodução em papel)/Reprodução certificada(sim)/nº de exemplares certificados (1)/Tipo de certidão (NARRATIVA)/Tipo de cópia(Total)/Finalidade da reprodução(CERTIFICAÇÂO)/Metodo de entrega(Envio por correio postal)/opção adicional de envio(Correio registado). Ufa!!, muito obrigado pela ajuda e atenção.

    Boa ! O importante é resolver !
    abraços e ótima sorte,

  • ElbaElba Member 121 PontosPosts: 24

    Bom dia! Saberiam me informar aproximadamente quantos dias depois que Ponta Delgada recebe a documentação, que chega o link por e-mail para pagamento da taxa? To preocupada de ir para spam. Mesmo olhando sempre.
    Alguém sabe o e-mail que origina?
    Foi recebida lá a documentação ontem 26/05 as 12h.
    Obrigada

    CEGV
  • CEGVCEGV Moderator 4824 PontosPosts: 4,555

    @Elba disse:
    Bom dia! Saberiam me informar aproximadamente quantos dias depois que Ponta Delgada recebe a documentação, que chega o link por e-mail para pagamento da taxa? To preocupada de ir para spam. Mesmo olhando sempre.

    não se preocupe.

    Alguém sabe o e-mail que origina?
    Foi recebida lá a documentação ontem 26/05 as 12h.
    Obrigada

    paciência. Lhe responderão.

    abraços,

  • AztecaAzteca Member 17 PontosPosts: 1

    Prezados, muito bom dia! Estou com as certidões em inteiro teor de nascimento da esposa brasileira e seu casamento com cidadão português, ambas já apostiladas, para fazer a solicitação de transcrição de casamento em Ponta Delgada.
    Entretanto, estas certidões que solicitamos foram em cópia reprográfica (somente agora notei a orientação da página 1 para inteiro teor digitada!). O risco de serem recusadas em PD é grande, caso enviemos assim?

    CEGV
  • CEGVCEGV Moderator 4824 PontosPosts: 4,555
    editado 13:55

    @Azteca disse:
    Prezados, muito bom dia! Estou com as certidões em inteiro teor de nascimento da esposa brasileira e seu casamento com cidadão português, ambas já apostiladas, para fazer a solicitação de transcrição de casamento em Ponta Delgada.
    Entretanto, estas certidões que solicitamos foram em cópia reprográfica (somente agora notei a orientação da página 1 para inteiro teor digitada!). O risco de serem recusadas em PD é grande, caso enviemos assim?

    não. Se pudéssemos dar valor ao tipo de certidões, a reprográfica valeria mais que a narrativa. Então, caso estejam em bom estado e legíveis, não deve ser um problema. O contrário é que, a rigor, não deve ocorrer, ou seja, enviar uma narrativa quando deveria ter enviado uma reprográfica.

    abraços,

Entre ou Registre-se para fazer um comentário.