Diversas alterações ocorridas através de despacho do IRN, impactando processos de todos os tipos.
ATENÇÃO: TONDELA não é mais balcão de nacionalidade. Pendentes serão enviados para a CRCentrais
Para pagar seu emolumento de processo de Transcrição de casamento ou de obtenção de nacionalidade através de Vale Postal, clique neste link, para saber o valor correto a ser pago (valores atualizados diariamente)

Atribuição 1C - Filhos de Portugueses (Menor/Maior) - Documentos e para onde enviar

1131415161719»

Comentários

  • LarissafrodriguesLarissafrodrigues Member 37 PontosPosts: 4

    @CEGV disse:

    @Larissafrodrigues disse:
    Prezados, boa tarde!
    Para qual Conservatória está melhor enviar os requerimentos para filhos maiores?
    Obrigada.

    É a pergunta que mais ouvimos ...

    Minha opinião pessoal é que o requerente eventual deve sempre enviar seus processos para as grandes conservatórias (ACP ou CRCentrais).

    O problema é que apenas quem trabalha regularmente com as conservatórias menores sabe exatamente como estão os prazos dessas conservatórias específicas e, convenhamos, estes profissionais não vão ficar contando dados para o público em geral. Também já vi diversas vezes oficiais de balcão de conservatórias mentirem sobre prazos (tanto para aumentar quanto para diminuir). Em resumo, quem sabe prazos e lugares é que está com informação diferenciada pois ela é que vale ouro (junto com algumas outras informações).

    Não confie em informações de estranhos sobre prazos espetaculares. Pode ser até verdade mas 90% da chance é que seja um dado muito antigo ou, minimamente, já desatualizado.

    boa sorte,

    Prezado,

    Muito obrigada pela informação!

    Nesses casos, saberia me dizer o tempo médio que está levando esse processos nas grandes conservatórias?

    CEGV
  • CEGVCEGV Moderator 4920 PontosPosts: 4,865

    @Larissafrodrigues disse:
    Nesses casos, saberia me dizer o tempo médio que está levando esse processos nas grandes conservatórias?

    Filhos, no ACP, recentemente soube que alguns processos foram concluídos entre 6 e 8 meses que, pelos prazos atuais, é extremamente rápido (em comparação com os últimos anos).

  • LarissafrodriguesLarissafrodrigues Member 37 PontosPosts: 4

    @CEGV disse:

    @Larissafrodrigues disse:
    Nesses casos, saberia me dizer o tempo médio que está levando esse processos nas grandes conservatórias?

    Filhos, no ACP, recentemente soube que alguns processos foram concluídos entre 6 e 8 meses que, pelos prazos atuais, é extremamente rápido (em comparação com os últimos anos).

    Perfeito!!

    Só uma última pergunta em relação aos documentos..

    Minha mãe era a Portuguesa e ela se casou duas vezes aqui no Brasil. Minha irmã já tirou a cidadania dela, e já fez a transcrição dos casamentos da minha mãe..

    Eu queria saber o seguinte:

    É necessário o envio das certidões de casamento da minha mãe para comprovar as mudanças de nome dela? Ou eu informando o número dos assentos (de nascimento, de casamentos e de óbito) eles já conseguem "puxar" essas informações?

    CEGV
  • CEGVCEGV Moderator 4920 PontosPosts: 4,865

    @Larissafrodrigues disse:
    Só uma última pergunta em relação aos documentos..
    Minha mãe era a Portuguesa e ela se casou duas vezes aqui no Brasil. Minha irmã já tirou a cidadania dela, e já fez a transcrição dos casamentos da minha mãe..
    Eu queria saber o seguinte:
    É necessário o envio das certidões de casamento da minha mãe para comprovar as mudanças de nome dela? Ou eu informando o número dos assentos (de nascimento, de casamentos e de óbito) eles já conseguem "puxar" essas informações?

    Se, como você disse, "Minha irmã já tirou a cidadania dela, e já fez a transcrição dos casamentos da minha mãe" , sobre estes documentos específicos, não há necessidade de enviar os assentos portugueses dos casamentos ou informar os números dos assentos dos casamentos pois eles já estarão averbados no assento de nascimento português da sua mãe (assumindo que o 1º casamento foi transcrito, a sentença de divórcio foi reconhecida e, em seguida, o 2º casamento foi transcrito).

    abraços,

  • thirvelothirvelo Member 124 PontosPosts: 17

    Há uns anos atrás, após ter conhecimento desse portal, fiz o processo de cidadania do meu pai e submeti à ACP. Foi relativamente rápido e simples. Em cerca de 8 meses o pedido foi recepcionado e finalizado sem pendências.

    Meu irmão e eu nascemos (1987 e 1990) antes dos nossos pais se casarem (2011) e por isso submeti os processos à Conservatória de Aveiro ano passado.

    Para nossa surpresa, na certidão de nascimento de cópia reprográfica do meu irmão consta que o declarante foi minha mãe sem informar o pai. Um ano depois, foi averbado certidão de reconhecimento de paternidade do nosso pai. A minha ele quem me reconheceu.

    Acontece que depois de um ano, nossos casos caíram em diligência e exigiram a transcrição de casamento deles, pois em nossas certidões de nascimento de cópia reprográfica foi averbado essa informação, além da alteração de nome da nossa mãe, sendo que no processo do meu irmão ainda exigiram a certidão do reconhecimento de paternidade.

    Estou aguardando a emissão das certidões pertinentes, contudo, acabei de lembrar que meu pai era viúvo quando casou com minha mãe.

    Perguntei à oficial de registros se podia enviar tudo para ela (pedido de transcrição e certidão de reconhecimento de paternidade). Quanto ao reconhecimento de paternidade sim, mas o pedido de transcrição deveria enviar à outra conservatória pois Aveiro já estava "lotada" para receber esse tipo de pedido.

    Será que eu conseguiria averbar o casamento deles sem comunicar o primeiro? Há atualmente alguma possibilidade de alguma conservatória realizar a transcrição sem passar pelo primeiro casamento do meu pai (português)? Há indicação de outra conservatória além de Ponta Delgada para esse tipo de situação?

    Como o pedido de transcrição não seria analisado conjuntamente com o de nacionalidade, perguntei à oficial, ainda, se nossos processos permaneceriam suspensos enquanto perdurasse, mas ela não me respondeu sobre, mesmo tendo perguntado duas vezes. Meu medo é de acabar perdendo o dinheiro que já gastei com os nossos pedidos de nacionalidade caso demore muito a transcrição...

    CEGV
  • CEGVCEGV Moderator 4920 PontosPosts: 4,865
    editado junho 24

    @thirvelo disse:
    Há uns anos atrás, após ter conhecimento desse portal, fiz o processo de cidadania do meu pai e submeti à ACP. Foi relativamente rápido e simples. Em cerca de 8 meses o pedido foi recepcionado e finalizado sem pendências.
    Meu irmão e eu nascemos (1987 e 1990) antes dos nossos pais se casarem (2011) e por isso submeti os processos à Conservatória de Aveiro ano passado.
    Para nossa surpresa, na certidão de nascimento de cópia reprográfica do meu irmão consta que o declarante foi minha mãe sem informar o pai. Um ano depois, foi averbado certidão de reconhecimento de paternidade do nosso pai. A minha ele quem me reconheceu.
    Acontece que depois de um ano, nossos casos caíram em diligência e exigiram a transcrição de casamento deles, pois em nossas certidões de nascimento de cópia reprográfica foi averbado essa informação, além da alteração de nome da nossa mãe, sendo que no processo do meu irmão ainda exigiram a certidão do reconhecimento de paternidade.
    Estou aguardando a emissão das certidões pertinentes, contudo, acabei de lembrar que meu pai era viúvo quando casou com minha mãe.
    Perguntei à oficial de registros se podia enviar tudo para ela (pedido de transcrição e certidão de reconhecimento de paternidade). Quanto ao reconhecimento de paternidade sim, mas o pedido de transcrição deveria enviar à outra conservatória pois Aveiro já estava "lotada" para receber esse tipo de pedido.
    Será que eu conseguiria averbar o casamento deles sem comunicar o primeiro? Há atualmente alguma possibilidade de alguma conservatória realizar a transcrição sem passar pelo primeiro casamento do meu pai (português)? Há indicação de outra conservatória além de Ponta Delgada para esse tipo de situação?

    Infelizmente não. Como seu pai é o português, será necessário transcrever o primeiro casamento, realizar a homologação da sentença de divórcio e, finalmente, transcrever o segundo casamento. Infelizmente será um procedimento caro.

    O que me surpreende é pedirem qualquer coisa relacionada à transcrição de casamento já que vocês nasceram depois de 1/4/78. Legalmente não há necessidade de perfilhação mas, sem ver documentos, não dá para dizer qualquer coisa com certeza.

    Se precisarem de ajuda específica, deixo meu contato abaixo

    Enviar mensagem privativa para CEGV pelo Portal

    Como o pedido de transcrição não seria analisado conjuntamente com o de nacionalidade, perguntei à oficial, ainda, se nossos processos permaneceriam suspensos enquanto perdurasse, mas ela não me respondeu sobre, mesmo tendo perguntado duas vezes. Meu medo é de acabar perdendo o dinheiro que já gastei com os nossos pedidos de nacionalidade caso demore muito a transcrição...

    como disse, você não conseguir transcrever um segundo casamento sem antes transcrever o primeiro e homologar a sentença de divórcio. Em termos de prazos, esses dois procedimentos podem levar, somente de prazo em Portugal, supondo que todos os documentos já estão disponíveis, de 4 a 9 meses. Eventualmente, dependendo da condição da documentação enviada, uma ajuda legal ou especializada poderá desenrolar o meio de campo com a conservadora em Aveiro evitando muitas despesas e perda de tempo que talvez não sejam necessárias.

    abraços,

Entre ou Registre-se para fazer um comentário.